Umidificadores

Controle de umidade

O controle da umidade assegurando no processo industrial uma uniformidade real do produto, protegendo equipamentos e materiais, é considerado um dos maiores avanços tecnológicos dos últimos tempos. Um ambiente úmido é reconhecido pela condensação sobre os vidros, atmosfera fria e inconfortável e pode trazer problemas graves como: mofo, bolor, odores, fungos, oxidação, ácaros e problemas de saúde como alergias e reumatismos.

Umidade relativa o ar significa, em termos simples, quanto de água na forma de vapor existe na atmosfera em dado momento, com relação a um total máximo que poderia existir em dada temperatura. A umidade aumenta quando chove e em áreas florestadas ou próximas a rios ou represas a umidade é sempre maior.

A quantidade de vapor d’água necessária para saturar um volume aumenta com a temperatura. A temperatura em que o vapor d’água fica saturado chama-se ponto de orvalho. No inverno o ar que se expira é tão úmido que esfriando-se pode ficar abaixo do ponto de orvalho e se condensar formando uma névoa. No inverno o ar pode conter pouca umidade e ponto de orvalho baixo. No verão o ar pode conter mais vapor d’água; portanto seu ponto de orvalho é mais alto. Algumas vezes, no inverno, e mesmo no verão (em dias úmidos e chuvosos), o vapor d’água do ar se condensa nos vidros dos automóveis, por dentro, impedindo a boa visibilidade.

Os valores da umidade relativa encontrados próximo à superfície da terra estão em torno de 60%; já em um deserto, onde a temperatura sobe, por vezes, a valores maiores que 45ºC, a umidade relativa é de apenas 15%. Em geral, abaixo de 45% o ar está muito seco e entre 50% e 60% UR o ar está úmido. A baixa umidade relativa do ar em geral traz mais problemas á saúde que a alta umidade.

Entre os problemas mais comuns temos: Complicações respiratórias devido ao ressecamento de mucosas; Sangramento pelo nariz, Ressecamento da pele, Irritação dos olhos, Eletricidade estática nas pessoas e em equipamentos eletrônicos, Aumento do potencial de incêndios em pastagens e florestas. Entre os cuidados e ações a tomar em caso de baixa umidade que podem causar desidratação e queda na resistência natural:

A nível industrial se recomenda trabalhar em condições ambientais controladas para obter um produto adequado e melhor armazenamento:

O ar contém um valor definido de vapor de água (g/m3); este valor significa a umidade absoluta. Existe um valor máximo admissível de vapor no ar. Se este valor for ultrapassado, o vapor se transformará em neblina ou, conforme o caso, em chuva. O máximo vapor que o ar consegue absorver (100%) depende da temperatura ambiente. A umidade relativa do ar é uma porcentagem do valor máximo admissível. A quantidade máxima possível depende principalmente da temperatura e é importante ressaltar que a umidade relativa esta sempre relacionada com a temperatura.

Tabela de vapor máximo absorvido no ar em função da temperatura ambiente (°C)

No caso de ambientes com diferentes temperaturas: janelas, infiltração solar, paredes aquecidas ou resfriadas em demasia, é necessário o controle em vários pontos, independentemente da dimensão da área.

Exemplo: num ambiente de 20ºC o ar absorve no máximo 17,31 g de vapor de água pôr m3 de ar, ou seja, 100%. Então, em um ambiente a 50% de umidade relativa a 20ºC terá (17,31×50)/100 = 8,67 g/m3, se baixarmos a temperatura deste ar (8,67 g/m3 de vapor absorvido) para 8 e 10ºC, o mesmo se sobrecarregará de vapor e o excesso precipitará. Num ambiente onde já existe muita umidade, uma pequena queda na temperatura poderá causar a precipitação, danificando a mercadoria ou equipamentos estocados. Isto significa que é necessário manter a temperatura do ambiente uniforme, de preferência ventilada.

Produtos e Acessórios: compressores e bicos de aplicação