Contaminações

Controle de Contaminações

Todos os anos, de 10 a 15% da produção agrícola se perde por falta de armazenamento adequado e desinfecção apodrecendo por ação de microorganismos. Produtos manufaturados também sofrem contaminações biológicas e químicas por derramamentos e gases diversos. Uma ferramentas para minimizar o problema é o uso de fumigantes e desodorizantes. Os Fumigantes como os gases Brometo de Metila, a Fosfina, o Oxido de Etileno, o Dióxido de Carbono e o Nitrogênio são usados para controle de insetos e microorganismos introduzindo a carga afetada numa câmara de gás para tratamento.

È um procedimento comum para tratamento de peças de museus atacadas por insetos tipo o cupim. Na desodorização se usam vários produtos, destacando-se o ozônio e a enzima que, além de desodorizantes, funcionam como desinfetantes.

Ozônio (O3)

O ozônio já é usado no tratamento de ar em bares, hospitais, cinemas, etc., para destruição do cheiro de cigarro, fumaça, odores de animais de estimação e de produtos químicos. É também usado para matar bactérias e vírus além de remover alergênicos como pólen e fungos e mofos minimizando problemas alérgicos.

Controle de odores pelo Ozônio

Odor de Animais; Fumaça de Cigarro; Odor de Tintas; Formaldeído; Gasolina; Odores de Remédios; Asfalto; Odores de Banheiro; Odores de Corpo; Odores de Queimado; Gases em Geral; Fumaça de Carvão; Odor de Carpetes; Exaustores; Gases de Esgotos; Óleo Rançoso; Mofos e Bolores; Odores de Cozinha; Ácido Lático; Amônia; Diesel; Monóxido de Carbono; Tetra cloreto; Odores de Mobília; Odores de Comida Queimada; Propano; Odor de Cebola e Alho; Butano; Mentol; Odores de lixo; Odores de Hospital; Animais Mortos; Óleos Lubrificantes; Benzeno; Odores de Peixe; Nicotina; Velhos Manuscritos; Odores de Galinheiros; Querosene; Odores de Podre; Tolueno; Acetona; Ácido Acrílico; Produtos Químicos; Creosoto; Odores de Comida; Ar Condicionado; Oxidação de VOC´s; Álcool etílico; Éter; Resinas; Álcool, elimina odores tóxicos de tintas, galvanoplastias, salões de cabeleireiras e de fossas sépticas.

Outras Aplicações:

Controle de Viroses e outros Germes; Desinfecção para Reuso da Água; Tratamento de Água Potável; Aquários; Controle de Bactérias; Oxidação de Metais; Tratamento de Água de Resfriamento; Tratamento de Água de Diálise; Redução de BDO; Fertilizante; Controle de Ovos de Traças; Combustão; Controle de Algas; Tratamento de Doenças de Pele; Tratamento de Água de Piscina; Água de Irrigação de Horticultura; Oxidação de Agrotóxicos; Resíduos Industriais; Fungos; Clarificação de efluentes; Ácido Carbônico; Tratamento de Água; Tratamento de Gangrena; controle do etileno causador do amadurecimento das frutas, etc…

A reação química básica de oxidação do ozônio ou da enzima com todos os hidrocarbonetos causadores dos odores gera CO2 e água, substâncias totalmente inofensivas: H2C=CH2 + O3 CO2 + H2O

Enzima

A enzima é também um versátil e seguro oxidante; é um dos oxidantes mais forte, superior ao cloro, dióxido de cloro e permanganato de potássio e não tem o problemas de emissão de gases associados com outros oxidantes.

No controle de odores a enzima oxida a gás sulfídrico, mercaptanas, aminas e aldeídos. a enzima pode ser aplicado diretamente na água que contenha estes contaminantes geradores de odor. Se o odor fôr derivado de atividade microbiológica, a enzima pode ser usado pra prevenir zonas anóxicas e assim, o desenvolvimento microbiano anaerobiotico. a enzima pode ser usado pra prevenir corrosão eliminando o cloro residual e reduzindo compostos de enxofre como os tiossulfatos, sulfitos e sulfetos que formam ácidos corrosivos.

a enzima oxida cianetos, NOx/SOx, nitritos, hidrazina, carbonyl sulfide e outros. Hidrolisa o formaldeído, carbon disulfide, carboidratos, organo-fosforosos e compostos nitrogenados. destrói fenois, pesticidas base BTEX, solventes, plastificantes, quelantes, etc..e é também um poderoso oxidante de matéria orgânica. Substitui o cloro nas desodorizações e controle de VOC´s. Uma solução para a remoção do mofo e bolores é a utilização de enzima de hidrogênio com pelo menos 3% de concentração que também mata a maioria das bactérias e germes, incluindo os esporos dos fungos. A enzima de hidrogênio é uma alternativa mais segura em comparação com o cloro para a remoção de mofo e não é corrosivo aos materiais, mais seguro para ser usado em materiais porosos como papel de parede ou tecido de superfícies.