Doenças Hospitalares

Peróxido de Hidrogênio Microorganismos e Doenças Controladas

Muitas espécies de bacterias Gram-negativas causam enfermidades: cocos gram-negativos causam gonorréia (Neisseria gonorrhoeae), a meningite (Neisseria meningitidis) e problemas respiratorios (Moraxella catarrhalis). Os bacilos gram-negativos incluem um grande número de espécies que causam enfermidades respiratórias, é o caso da:

Hemophilus influenzae, Klebsiella pneumoniae, Legionella pneumophila, Pseudomonas aeruginosa e outras causam enfermidades urinarias como a Escherichia coli, Proteus mirabilis, Enterobacter cloacae, Serratia marcescens e outras causam enfermidades gastrointestinais como a Helicobacter pylori, Salmonella enteritidis, Salmonella typhi. A Acinetobacter baumanii estão associadas a infecções hospitalares.


Staphylococcus aureus é uma das espécies patogénicas mais comuns, juntamente com a Escherichia coli, e a mais virulenta do seu gênero. Cresce em ambientes salinos e cerca de 15% dos individuos são portadores na pele ou nasofaringe. A infecção é causada por cortes na pele. A doença inicia-se abruptamente, com hipotensão, febre, eritemas difusos; pode haver choque séptico e perda de consciência, seguida de insuficiência de múltiplos órgãos.

Pode se manifestar também numa gastroenterite devido à presença de enterotoxinas na comida ingerida comum em presunto e outras carnes com sal. Caracteriza-se por aparecimento súbito (após 4h) de vómitos, diarreia aquosa, dores abdominais. Outras formas de doenças são: Síndrome de pele escaldada, com aparecimento súbito de eritemas (zonas vermelhas dolorosas) que começam em redor da boca e se espalham para o resto do corpo.

Aparecimento de pequenas manchas vermelhas que progridem para pústulas cheias de pus que pode se romper e espalhar para outras regiões e progredir para furunculo com nódulo grande e vermelho e depois para carbúnculo e estender-se para o tecido cutâneo. Pode infeccionar o coração após circulação pelo sangue e uma série de outras complicações. Uma super bactéria derivada esta especie é a chamada MRSA sub espécie resintente a antibioticos como a meticilina.


A bactéria do MRSA (S. áureus resistente à Meticilina) foi responsável por mais mortes que a AIDS no ano de 2006. Em 2005, 19 mil pessoas morreram de infecções por MRSA nos Estados Unidos e em média 6,3 de cada 100 mil infecções resultaram em morte. Esse número é maior do que o de mortes por complicações da AIDS no mesmo ano. No Reino Unido os casos de MRSA aumentaram de 210, em 1993, para 5.300 em

2002.

As infecções contraídas em ambiente hospitalar representam 85% de todos os casos de MRSA e estima-se que 1,2 milhões de pessoas adquirem infecção por MRSA anualmente durante a hospitalização.


Bactéria gram-positiva desenvolve-se no trato gastrointestinal e é responsável por doenças gastrointestinais associadas a toxinas liberadas com o uso de antibióticos. Os problemas variam desde uma simples diarréia até uma colite com dores abdominais associadas a febre.

A infecção ocorre após tratamento com antibióticos que permite a germinação de esporos deste organismo liberando toxinas que causam danos às paredes do intestino. Idosos ou pessoas com o sistema imunológico enfraquecido estão mais suscetíveis.


A Serratia, uma enterobactéria gram-negativa é um importante patógeno humano e encontrado como agente causal de infecções hospitalares principalmente do trato urinário.

O gênero Serratia pode ser encontrado em alimentos, água e plantas e sua patogenicidade reconhecida desde os anos 60.

A Serratia marcescens é a espécie mais freqüente e a Serratia liquefaciens mais rara, encontrada em casos de infecção relacionada à lente de contato e transfusão de sangue.


São bactérias gram-negativas da família Proteobacteria, organismos que vivem no solo se alimentando de compostos orgânicos. São microorganismos oportunistas e fonte de infecções hospitalares, quando atingem pacientes debilitados.

O A. baumannii, considerado no passado de baixa virulência, atualmente esta sempre envolvido em processos infecciosos de hospitais com pacientes que sofreram queimaduras, ou que tenham algum tipo de imuno-comprometimento, idosos e Aidéticos.

Costuma infeccionar o trato respiratório, sangue, urina e, menos comumente, a pele. Este patógeno tem resistência a múltiplas drogas dificultando seu tratamento.


Klebsiella pneumoniae é uma espécie de bactéria gram-negativa e pode causar pneumonia.

Em infecções hospitalares causa complicações no aparelho urinário e em feridas de doentes imunologicamente deprimidos.

 

 


Enterobacter é um gênero de bactérias gram-negativas muitas das quais patógenos que causam infecções oportunistas. Várias espécies são decompositoras de matéria orgânica morta ou vivem no ser humano como parte de uma população microbiana normal.

Quando causam infecções normalmente se localizam no trato urinário e no trato respiratório.

 


Os Enterococcus são um gênero de bactérias gram-positivas e que ocorrem no intestino, bexiga e trato genital feminino. Pouco virulentas, mas representam a segunda causa de infecções hospitalares nos Estados Unidos.

O desenvolvimento de resistência à vancomicina (ERV) por certas cepas de enterococus foi descrito no final da década de 80 e tem aumentado inclusive no Brasil com vários hospitais dando conta do fenômeno já entre 2000 e 2002.


Bactéria do carbúnculo, Gram positiva, cada célula tem entre 1 6 micra e produz endósporos que no solo podem permanecer décadas no estado dormente.

Quando ingerida por um herbívoro, começa a sua multiplicação dentro deste, acabando por lhe provocar a morte, em seguida alimenta-se da carcaça e quando esta se acaba, produzem novos endósporos.

O B. anthracis tem cerca de 89 cepas conhecidas, algumas são virulentas e poderão ser utilizadas como armas biológicas.


O Mycobacterium tuberculosis, ou bacilo de Koch, é a bactéria que provoca a maioria dos casos de tuberculose.

O bacilo em forma de bastão pode resistir a desinfetantes fracos e sobreviver em estado latente por semanas à espera de um hospedeiro.

 

 


A Escherichia coli é uma bactéria gram-negativa e está entre as principais causas de:toxinfecção alimentar e hospitalar: é causa importante de gastroenterites, infecção do tracto urinário, colecistites, apendicites, peritonites. Meningite, Infecções de feridas e Septicémia.

 


A Salmonella é uma enterobactéria que tende a aparecer 24 horas após a ingestão. Fixam-se na parede do intestino delgado onde se multiplicam e se manifestam causando vômito, diarréia, náuseas, febre e anorexia.

A disseminação se da por alimentos contaminados e por contaminação fecal-oral por animais como ovinos, suínos, coelhos, cães, aves marinhas, roedores, mamíferos marinhos, gatos e cavalos.


Clostridium botulinum é o nome de uma bactéria freqüentemente encontrada na água ou nos alimentos e que podem gerar uma toxi-infecção alimentar. A bactéria forma esporos que podem sobreviver, dormentes até serem expostos a condições favoráveis ao seu desenvolvimento.

Os esporos sâo altamente resistentes, suportam até 100°C por 3 a 5 horas. Existem sete tipos de toxinas do botulismo designadas pelas letras de A a G; apenas os tipos A, B, E e F podem causar doença em humanos.


O Aspergillus é um gênero de fungos e importantes agentes decompositores de alimentos. Existem mais de 200 espécies na natureza e contaminam comidas como pães e batatas, etc., e crescem em muitas plantas e árvores causando perdas agrícolas de monta.

Nos humanos a Aspergillose é uma infecção pulmonar aguda, causar reações alérgicas em asmáticos, ataque ao tecido pulmonar e se espalhar pelo corpo.


Também chamado de Vírus Norwalk é o protótipo de uma família de pequenas estruturas virais (SRSVs) classificadas como Calicivirus. O Norovírus propaga-se através de contacto com a pessoa infectada, contacto com as superfícies ou objectos contaminados pelo vírus ou pela ingestão de alimentos ou água contaminada. Estes vírus causam gastroenterite e intoxicação alimentar.

As Noroviroses são altamente contagiosas e os principais agentes de infecção não-bacteriana. A transmissão se dá através das excreções, vômitos e diarréia dos doentes e concorre para uma alta transmissibilidade em lares, berçários ou escolas. Pessoas de todas as idades podem ser contaminadas, é considerada epidêmica e ocorre principalmente no Inverno.


Parvovírus ou Parvo é um vírus dos menores encontrados na natureza (daí o nome parvus = pequenos). Muitas espécies de mamíferos têm estirpes de parvovírus associadas e podem afetar animais de mesmo agrupamente genético: estirpes de parvovírus canino, por exemplo, podem afetar lobos e raposas.

Os seres humanos podem ser infectados por três gêneros da Família Parvoviridae. São eles Dependoviruses, os Erythroviruses e os Bocaviruses.


Os Adenovirus são um grupo de vírus muito frequentes e extremamente resistentes. Há mais de 40 sorotipos e a infecção com um não dá imunidade contra os outros. São infecções freqüentes nas crianças que acabam por infectar os pais,irmãos, pediatras e enfermeiros.

A infecção se da por contaminação com detritos fecais. Causam várias doenças como gastroenterites, vômitos, diarréia, dor abdominal e náuseas, conjuntivites, faringites, pneumonias e hepatites em imunodeprimidos, receptores de transplantes, doentes com AIDS, etc…


Os ortomixovírus são os vírus causadores da influenza A, B e C.. O tipo A promove desde a doença moderada até a severa em todas as faixas etárias e pode causar epidemias, afetando até animais; O tipo B afeta somente humanos, principalmente crianças e causa epidemias leves; O tipo C não é epidêmico.

Os vírus da Influenza podem sofrer pequenas alterações na sua superfície, caracterizadas como mudanças antigênicas leves. É por isso que a cada ano a composição da vacina contra o vírus da Influenza precisa ser alterada.


A gripe é uma doença infecciosa aguda que afeta aves e mamíferos. É causada pelo Vírus ARN da família Orthomyxoviridae (dos vírus influenza). Em humanos, os sintomas mais comuns da doença são calafrios e febre, dor de garganta, dores musculares, dores de cabeça, tosse, fadiga e mal estar. Em casos mais graves causa pneumonia, que pode ser fatal, particularmente em crianças pequenas e idosos.

Embora às vezes seja confundida com o resfriado, a gripe é muito mais grave e causada por vários tipos de vírus. Pode causar náusea e vômito, especialmente em crianças, mas tais sintomas são mais característicos da não relacionada gastroenterite, que pode ser chamada de “gripe de estômago” ou “gripe de 24 horas”. A gripe se espalha ao redor do mundo em epidemias, que resultam em mortes de centenas de milhares de pessoas.


O Influenza A subtipo H5N1, também conhecido como “gripe das aves”, A(H5N1) ou simplesmente H5N1, é um subtipo de vírus Influenza A que pode causar doença em humanos e muitas outras espécies animais.

[1] Uma estirpe de H5N1 adaptada a aves, chamada HPAI A(H5N1)

 


AIDS vírus da imunodeficiência humana (VIH), também conhecido por HIV pertence à família dos retrovírus. Esta designação contém pelo menos duas sub-categorias de vírus, o HIV-1 e o HIV-2. Entre o grupo HIV-1 existe uma grande variedade de subtipos designados de -A a -J.

Já dentro do corpo, o vírus infecta principalmente uma importante célula do sistema imunológico, designada como linfócito e ataca o sistema de defesa humano. Uma pessoa normalmente não morre de AIDS mas de outra doença.


Micoplasmas é o nome que foi dado às bactérias com tamanho menor do que o apresentado normalmente pelas outras bactérias e descobriram-se ainda estirpes que exibiam um crescimento com micélios, semelhante ao dos fungos. Os micoplasmas podem viver dentro de células sem matar a célula hospedeira, à semelhança do que fazem alguns vírus e bactérias, mas também podem viver e crescer fora das células, nos fluidos corporais, coisa de que os vírus não são capazes.

São responsáveis por doenças como a artrite reumatóide, inflamações alérgicas, pneumonia atípica e outras doenças, e estuda-se uma possível ligação entre estes organismos e certas doenças relacionadas com o sistema imunológico, como a diabetes e a esclerose múltipla, entre outras.


O vírus da Polio é um Enterovírus, tem três sorotipos, I, II e III, e todos provocam paralisia. É de alta infectividade, mas felizmente possui baixa patogenidade, apenas 0,1 a 2,0% dos infectados desenvolvem a forma paralítica. É resistente a desinfetantes e ao éter.

É uma doença aguda freqüentemente caracterizadas por febre, mal-estar, cefaléia, distúrbios gastrointestinais e rigidez de nuca acompanhadas ou não de paralisias.

 


Severe Acute Respiratory Syndrome ou síndrome respiratória aguda grave, é uma doença respiratória grave que afligiu o mundo no ano de 2003, cuja causa não foi ainda determinada (provavelmente causada por um coronavírus) mas se trata de uma grave pneumonia atípica.

Sintomas: Febre Alta; Tosse; Dispnéia (dificuldade na respiração); Muitas vezes confundida com a gripe aviária, embora não seja a mesma doença, é causada pelo coronavírus (CoV SARS) tendo diagnóstico a partir de sorologia e PCR.


Um príon é um agregado supramolecular acelular, composto por proteínas com capacidade de modificar outras proteínas, tornando-as cópias das proteínas que o compõem, não possui ácido nucleico (DNA ou RNA) e são conhecidos treze tipos dos quais três atacam fungos e dez afectam mamíferos; dentre estes, sete têm por alvo a nossa espécie. São causadores de várias doenças, como a encefalopatia espongiforme bovina (vulgarmente conhecida como “doença da vaca louca”) e a doença de Creutzfeldt-Jakob (DCJ).

Todas as doenças supostamente causadas por príons afetam a estrutura do cérebro ou dos tecidos neurais, não possuem cura e são sempre fatais. Deve-se destacar o perigo que infecções por príon representam no âmbito sócio-global, já que os prions são mais resistentes à destruição que qualquer outro agente patogêncio conhecido. Eles são mais duradouros e estáveis que os esporos de anthrax e não podem ser neutralizados por radiação. Além disso, não existem procedimentos de rotina que visem detectá-los. Assim, a contaminação por prion pode ser mais poderosa, ainda que manifestada com menor intensidade a curto intervalo de tempo, que infestações por antrax e sarampo. Contra estas últimas existe ainda a possibilidade de se produzirem vacinas, e a taxa de mortalidade não chega aos 30%.


Precauções

Na academia não emprestar itens pessoais que têm contato com sua pele é um bom começo. Não deixe outras pessoas usarem sua lâmina de barbear, seu sabonete e nem mesmo sua toalha. Se você vai para a academia, não use a mesma roupa duas vezes sem lavá-la (utilize alvejante na lavagem). Também não é difícil tomar um banho antes de sair da academia.

Cortes e arranhões: você também pode prevenir as infecções por MRSA limpando cortes e arranhões com álcool e enfaixando-os. Lembre-se de perguntar para seu médico que tipo de pomada deve utilizar, pois as pomadas antibacterianas podem até piorar o problema do MRSA.

Exames Médicos de Rotina: Também é importante fazer exame, se você suspeita estar com infecção por MRSA. Deter a infecção antes que ela se alastre demais aumenta bastante a sua chance de evitar uma situação em que haja risco de morte.

Infecção Hospitalar Informação: Vários tipos de bactérias, vírus e fungos, são responsáveis por infecções hospitalares, ou infecções nosocomiais. As bactérias Staphylococcus aureus, Pseudomonas aeruginosa e Escherichia coli, estão no grupo que mais infecções causam nos hospitais.

As ferramentas que salvam podem abrigar patógenos e infecções: cateteres, instrumentos cirúrgicos, tubos de respiração e até luvas de látex podem espalhar um surto infeccioso. As infecções hospitalares podem também ser o resultado de água contaminada ou sistemas ventilação. Entre as infecções mais comuns estão infecções do trato urinário, infecções de feridas cirúrgicas, infecções da corrente sanguínea e pneumonia.

As infecções estão cada vez mais virulentas primeiro porque além dos pacientes dos hospitais estarem normalmente com o sistema imunológico enfraquecido novos microorganismos, mais resistentes às drogas tradicionais, estão aparecendo.

 


Medidas de defesa contra infecções hospitalares

Pelo menos 1/3 das doenças que podem ser evitadas com simples medidas: Lavar as mãos; Converse com uma certa distância. Com as pessoas; Trate bem das feridas e dos curativos, Siga as instruções do seu médico e procure ter uma alimentação saudável.

Estas informações NÃO DEVEM SER CONSIDERADAS ORIENTAÇÃO MÉDICA. Não nos responsabilizamos por quaisquer conseqüências de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar, ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou utilização das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui prática da medicina e não substituem o conselho de seu médico ou outro profissional de saúde.