Desinfecção

Descontaminação de Ambientes

A descontaminação de ambientes é obrigatória, rotineira e protocolar em determinados ambientes como é caso de hospitais. Áreas acidentadas, ambientes de produção industrial, laboratórios, escritórios, edifícios e escolas exigem áreas microbiologicamente controladas para evitar surtos de epidemias mesmo desconforto no trabalho. Vários sistemas como filtros, gases esterilizantes, desinfetantes, radiações gama e ultravioleta foram e estão sendo desenvolvidos para acompanhar a crescente resistência dos microorganismos aos diferentes produtos.

Lista de “novos” micróbios com alta resistência e outros microorganismos preocupantes: Virus da Hepatite C, Clostridium difficile, Cryptosporidium, Helicobacter pylori, E.coli – 0157:H7, Microbios resistentes a antibióticos: MDR-TB, VRE, MRSA, SARS, Coronavirus, Influenza aviaria, norovirus, Agentes de bioterrorismo: anthrax, peste bulbônica, varíola.

Entre os sistemas de desinfecção mais confiáveis e aprovados em protocolos hospitalares, esta o peróxido de oxigênio ou água oxigenada (H2O2), classificado com desinfetante e esterilizante químico.

Desinfecção e Esterilização em Hospitais

E. H. Spaulding acreditava que o nível de desinfecção necessário depende do uso a que se destina o objeto. Os níveis de desinfecção classificam-se em crítico, semi-crítico e não crítico.

O Peróxido de Hidrogênio, como se pode observar no quadro abaixo, o peróxido de hidrogênio é utilizado sozinho ou em combinação de formulações para diversas aplicações e tem uma série de vantagens: não requer ativação, apresenta grande remoção de microorganismos, não produz sub-produtos, não causa irritação ou odores, não coagula sangue nem fixa tecidos sob as superfícies e seu uso é tradicional e conhecido. As únicas desvantagens: eventuais é que pode apresentar problemas de compatibilidade com latão, zinco, cobre, níquel e recobrimentos metálico com prata, pode também causar danos na aparência e funcionais a alguns aparelhos dependendo da concentração usada e pode causar irritação e dano aos olhos nas mais elevadas concentrações.

Á água oxigenada (peróxido de hidrogênio) é um produto natural, produzido na natureza, na água, sob ação do sol e por diversos microorganismos, inclusive pelo homem, em seu metabolismo.

Os desinfetantes químicos podem funcionar como biocidas, antibióticos ou como oxidantes. Contra antibióticos os microorganismos podem criar resistência por selecionamento de cepas, entretanto, contra os oxidantes não existe “resistência” pois estes atacam o microorganismo transformando sua matéria orgânica em CO2 e água. A desinfecção com oxidantes contra qualquer microorganismo é uma questão de dosagem.

O vapor de peróxido de hidrogênio, uma tecnologia relativamente recente, eficaz e versátil. A eficiência mostrada pelo vapor de peróxido de hidrogênio está rapidamente tornando o produto numa alternativa ao formaldeído em diversas aplicações e é comprovadamente indicado e aprovado na desativação vegetativas de microorganismos e de esporos de bactérias, vírus e fungos.

Prions também representam um desafio único para a descontaminação pois são notoriamente resistentes à esterilização e desinfecção, mas entretanto, um estudo recente demonstra a eficácia do VPH contra os prions. A indústria farmacêutica em particular requer áreas de produção limpas microbiologicamente e é regida por organismos de regulação que impõe normas de desinfecção microbiológica. (Obs.: O uso de endósporos bacterianos, normalmente de Geobacillus stearothermophilus, como um indicador biológico para medir o sucesso de descontaminação é um padrão comum em todos os sectores.).

Comparação de Desinfetantes

Vaporização e Rapidez de Controle de Microorganismos


Características do Sistema de Vapor de Peróxido (VPH)
Rapidez: o processo de descontaminação é rápida e, devido ao elevado custo de produção e pesquisa e desenvolvimento, a paralisação deve ser mantida a um mínimo absoluto.

Sistema de Aplicação em Ambientes

Sem resíduos: do processo: oxigênio e água não apresentam necessidade de limpeza podendo a produção ser retomada em seguida; Controle de agentes de amplo espectro: aliado a alto nível de desinfecção eficaz contra uma ampla gama de agentes biológicos e classe III / IV Ambientalmente amigável: os sub-produtos do processo de descontaminação são oxigênio e vapor d’água: Seguro: o VPH pode ser usado para fumigar equipamentos sem fechar o laboratório, ou para salas sem fechar o prédio. Não carcinogênico: ao contrário do formaldeído e o nível de segurança à exposição é dez vezes superior ao dióxido de cloro; Compatibilidade de Materiais: ao VPH não danifica equipamentos elétricos e eletrônicos sensíveis ou acabamentos sala quando usado de forma eficiente.